Alana Moraes

Alana Moraes entra de forma arrebatadora no mercado da Música Popular Brasileira.

No mesmo ano em que lança no mercado o seu primeiro CD solo, que contou com a participação especial do cantor e compositor Uruguaio Daniel Drexler e de receber as críticas esperadas para uma cantora do seu calibre, vence o Prêmio Açorianos de Música na categoria “Artista Revelação” e o Troféu Origens pelo Galpão Crioulo e RBSTV (afiliada Rede Globo).

Como disse o jornalista Juarez Fonseca “basta ouvir a primeira faixa para se perceber que já é uma das maiores cantoras brasileiras da nova geração” e o jornalista Julio Maria, autor do livro sobre a vida da Elis Regina “Nada Será Como Antes” “seu canto não tem medo e acredita no próprio timbre. É ousado e destemido (…) a faz pensar como um instrumentista dos bons, não apenas uma cantora”.

Apesar do ano de 2015 ter sido o ano em que o nome Alana Moraes ganhou expressão na sua dimensão de intérprete com um trabalho a solo, a sua carreira vem se desenhando desde muito cedo. Começa quando aos 13 anos grava um CD com o seu pai. Desde então investiu fortemente na sua formação musical, tendo passado pela Universidade Livre de Música Tom Jobim, atual EMESP Tom Jobim.

Em 2012 lançou o CD “Amor e Som” com o violonista Gabriel Selvage e já cantou ao lado de grandes nomes, como Renato Borghetti, Luis Carlos Borges, Yamandu Costa, Luciano Maia, Mestrinho, Lucio Yanel, Itamar Collaço (Zimbo Trio), Wander Taffo, Alegre Correa, Raul de Souza, Bebe Kramer, entre outros.

No início de 2016, lança a Web Série Respiração, voz e acordeom, onde a cantora convida grandes nomes do cenário acordeonístico brasileiro.

Tem conquistado os mais prestigiados projetos e salas de espetáculos na América Latina e Europa, tendo passado por Argentina, Uruguai e também Portugal, França, Holanda, Espanha, Alemanha, Inglaterra e Luxemburgo.

Em 2017 Alana se lança também como compositora e grava o seu primeiro samba, produzido pelo baixista Guto Wirtti. A gravação contou com a participação do violonista e bandolinista Pedro Franco e o percussionista Marcelo Costa. O single que deu origem a um clipe dirigido pela atriz e diretora Luciana Bollina é o ponta pé inicial para o seu novo trabalho como compositora.

Em 2019 ingressa no grupo Gafieirando ao lado de nomes renomados da cena musical brasileira, como Silvério Pontes e Daniela Spielman e em 2020 lançou o novo single “Verso Ligeiro” produzido por Rogério Caetano pela gravadora Biscoito Fico.